Dicas Nutricionais

Guia de Óleos Vegetais saudáveis

Se você está preocupado com a ingestão de gordura e deseja garantir que os óleos que você utiliza na cozinha são bons, você está com sorte: aí vai um guia bem interessante de Óleos Vegetais Saudáveis!

A maioria dos óleos vegetais são pobres em gorduras saturadas, o que é uma boa notícia. As gorduras saturadas estão presentes em gorduras animais como banha de porco e laticínios como manteiga e queijo, por exemplo.

Embora não sejam tão ruins quanto as gorduras trans, as gorduras saturadas também estão associadas a doenças cardíacas! Todos os óleos (ou seja, gorduras líquidas à temperatura ambiente) têm pelo menos alguma gordura saturada, variando de 6% (óleo de canola) a 18% (óleo de amendoim).

O que resta são gorduras monoinsaturadas e gorduras poliinsaturadas, que são boas para você! Alguns como o azeite de oliva e o de abacate são mais ricos em monoinsaturados. Enquanto outros, como óleo de milho, de canola, de girassol e de cártamo, são mais ricos em poliinsaturados.

Esse segundo grupo, o poliinsaturado, são as chamadas “gorduras boas” que aumentam seu HDL (o colesterol “bom”) e diminuem o seu LDL (colesterol “ruim”).

Qual é o melhor óleo vegetal para cozinhar?

Ao selecionar um óleo de cozinha, você deve observar suas propriedades culinárias – principalmente seu sabor e seu ponto de fumaça (ou seja, a temperatura na qual o óleo está no ponto de fritura). Um óleo com alto ponto de fumaça é melhor para refogar porque pode ser aquecido a uma temperatura mais alta. Os óleos com baixo ponto de fumaça são menos adequados para refogar, mas podem ser usados ​​em molhos para saladas, molhos e outras aplicações com pouco ou nenhum calor.

Azeite de Abacate

É feito pela extração do óleo da polpa de abacate real (não das sementes). Dependendo de como é refinado, ele tem um ponto de fumaça muito alto. Apesar de seu alto ponto de fumaça, o sabor sutil, porém distinto, do azeite de abacate é melhor apreciado em molhos para salada ou sobre legumes grelhados, em vez de realmente refogar.

Azeite

Quando se trata de sabor e versatilidade, o azeite extra-virgem é obrigatório em todas as cozinhas. Seu sabor varia e, embora seu ponto de fumaça seja médio, você ainda pode cozinhar com ele. Mas onde realmente brilha é em molhos, refogados ou regados em qualquer coisa, de pão a saladas.

Óleo de Canola

A canola tem a menor proporção de gorduras saturadas de qualquer óleo de cozinha, por isso é sem dúvida o óleo de cozinha mais saudável, pelo menos por essa medida. Seu ponto de fumaça é alto, adequado para qualquer tipo de cozimento em alta temperatura e seu sabor suave não domina outros ingredientes. Também é uma excelente opção para fazer maionese caseira.

Óleo de Cártamo

Proveniente das sementes de uma planta chamada cártamo, este pode ser o melhor óleo de cozinha. Se você tiver que comprar apenas um, recomenda-se a compra do óleo de cártamo. Completamente incolor e sem sabor, é um meio de cozimento perfeito e com um ponto de fumaça muito bom! Quando refinado, é ideal para refogar.

Óleo de gergelim

Produzido a partir de sementes de gergelim, este óleo tem um baixo ponto de fumaça, tornando-o uma má escolha para refogar ou fritar, o que é paradoxal, porque o óleo de gergelim está associado à culinária chinesa e asiática em geral, incluindo as preparações fritas. O segredo, no entanto, é regar o refogado já acabado com uma pequena quantidade de óleo de gergelim, em vez de realmente cozinhar os alimentos. Fica realmente delicioso e marcante!

Óleo de Girassol

Muito parecido com o óleo de cártamo, o girassol vem de sementes de girassol e também é muito neutro. Com um ponto de fumaça alto, o óleo de girassol é uma boa opção para cozinhar em alta temperatura.

Onde encontrar?

Você encontra todos estes óleos vegetais na loja virtual da Zona Cerealista Online www.zonacerealista.com.br ou no aplicativo da Zona Cerealista para Android e iOS. Entregamos em todo o Brasil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *